Fluxo de Pedidos no E-Commerce

Entenda melhor como funciona a aprovação de pagamentos

Não é preciso muito tempo no ramo do varejo eletrônico para perceber a importância de se otimizar o fluxo de pedidos no e-commerce. Este processo é tudo o que envolve o recebimento do pedido, sua organização, separação e expedição para o endereço escolhido pelo comprador. É o responsável pelo mapeamento de cada etapa da venda, o que permite maior agilidade e oferece uma melhor experiência de compra. 

Uma gestão eficiente do fluxo de pedidos no e-commerce é essencial para o crescimento sustentável do negócio, já que possibilita maior produtividade das equipes, controle de processos, mitiga a possibilidade de erros e melhora o monitoramento e a análise dos pontos críticos identificados.

Etapas do fluxo de pedido na visão do lojista

Quando um cliente realiza um pedido em uma loja virtual, todo o processo necessário para que o produto chegue até ele deve ser praticamente invisível aos seus olhos. Na visão do lojista, por outro lado, todo este fluxo deve ser muito claro e bem resolvido.

Existem algumas etapas que precisam ser monitoradas para garantir a eficiência do fluxo e para manter o cliente informado sobre o andamento de seu pedido.

Pré- autorização no cartão

Praticamente 80% das compras feitas no e-commerce são pagas com cartões de crédito, o que traz a necessidade de se conhecer o fluxo deste tipo de transação.

Existem duas formas de se capturar uma transação via cartão de crédito: a pré-autorização e a autorização. Enquanto a pré-autorização reserva um valor do limite do cartão por um período (modalidade comum em reservas de hotéis e locações de veículos), a autorização é enviada ao emissor do cartão com retorno imediato, podendo ser aprovada ou reprovada.

Captura da transação no cartão

Nos casos em que há a autorização, é feita uma reserva do limite do cartão até que a transação seja capturada. A captura é a confirmação de que a transação foi realizada. Somente após a captura, o titular do cartão consegue visualizar o lançamento em sua fatura. 

Aprovação de pagamento

No e-commerce, quando se fala em pagamentos, não se fala apenas de dinheiro, cartão e boleto. Atores como emissor, gateway, adquirente e subadquirente, pouco conhecidos por quem não atua no setor, são primordiais para a rapidez e a eficiência nas análises necessárias para a aprovação da transação.

Emissor

A empresa que gera o cartão é o emissor. São os emissores que possuem dados sensíveis, como números de cartões, senhas, nomes e CPFs de titulares. Cabe ao emissor estabelecer o valor do limite do cartão.

Os cartões emitidos sempre terão uma bandeira (Visa e Mastercard, por exemplo). A bandeira recebe o pedido da loja e envia para aprovação do emissor. Como as lojas não conseguem se comunicar diretamente com as bandeiras, é necessário que haja um intermediário: o adquirente.

Adquirente

É função do adquirente analisar, processar e transacionar pagamentos efetuados com cartões. Ele atua como meio de comunicação entre loja e banco emissor para validar dados e fazer a aprovação de um pedido.

Gateway

O gateway de pagamento é responsável por fazer o tráfego dos dados (criptografados) de um cartão entre lojista e adquirente. Caso o varejista opte pela implementação de um gateway, o adquirente ainda ficará responsável pelo fluxo do dinheiro.

Subadquirente

O subadquirente é uma alternativa ao banco ou adquirente, o que reduz a burocracia, possui baixo custo de implementação e tem fácil integração. Por outro lado, os subadquirentes costumam antecipar cobranças dos lojistas e, como rechaçam a necessidade de contato com o banco, fazem com que o número de falsos-positivos seja maior.

Antifraude

O varejo digital não dispõe de alguns fatores de segurança que são comuns ao físico, como a senha do cartão. Por isso, o e-commerce necessita de camadas de segurança antes da aprovação.

É aí que entra o antifraude. Contar com um especialista, que proteja o negócio e o cliente final, é um dos grandes passos para escalar o negócio, pois, além de impedir que o varejistas tenha prejuízos com chargebacks, permite que o mesmo foque apenas em seu core business, deixando o trabalho antifraude apenas com quem tem expertise para combatê-la.

Controle do produto no estoque

Controlar o estoque de maneira eficiente é uma obrigação do varejista do e-commerce. Mais do que simplesmente saber qual mercadoria está disponível e quais são as mais vendidas, a gestão correta do estoque permite saber com mais clareza em quais produtos se deve investir mais, além de agilizar processos de envio e troca, otimizar o tempo da equipe e maximizar a eficiência no atendimento ao cliente.

ERP integra status de pagamento com a loja

A tecnologia tornou mais fácil organizar e gerir dados valiosos para tomadas importantes de decisão. Os ERPs (Enterprise Resource Planning), por exemplo, são sistemas tecnológicos de gestão muito adotados no e-commerce, pois fazem a integração de praticamente todos os processos, inclusive a cadeia de pagamento, e trazem diversos benefícios à gestão do negócio.

O ERP torna possível gerir grandes quantidades de informações de maneira automatizada, o que gera mais fluidez e organização. Quando se busca o desenvolvimento do negócio, processos estritamente manuais diminuem a eficiência da equipe e aumentam a possibilidade de erros.

Tempo de aprovação de um pedido: Fique atento!

O tempo médio de resposta de cada transação é um indicador valioso para guiar os varejistas de comércio eletrônico em decisões importantes para o negócio. Infelizmente, não há espaço, na esmagadora maioria dos pedidos, para uma demora na resposta.

O consumidor digital é cada vez mais ansioso, e dados de consultorias especializadas mostram que 53% deles tendem a desistir de transações quando a resposta não é imediata. Neste cenário, valorizar o tempo do cliente é uma obrigatoriedade.

Texto escrito pela ClearSale

Quer saber mais sobre supermercado no e-commerce? Fala com um dos nossos consultores e vem conhecer as vantagens que online pode trazer para sua marca.